A cultura amazonense perdeu um de seus nomes mais criativos nesta sexta-feira. O compositor Emerson Maia morreu aos 66 anos, vítima de problemas no fígado e complicações da Covid. Autor de “Sentei junto ao pé da Roseira”, “Lamento de Raça” e “Flor de Tucumã”, ele havia trocado o Garantido pelo Caprichoso em 2018, e morreu no Getúlio Vargas, em Manaus.

 

O quadro de covid agravou a saúde do artista esta semana. Começo do ano ele teve tuberculose, depois teve problemas no fígado e em seguida a covid. Parintins e toda a comunidade artística do Amazonas estão de luto. “O índio chorou, o branco chorou
Todo mundo está chorando”…