Após a Procuradoria-Geral da República (PGR) pedir a abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), e pressionar Prefeitura e Governo do Amazonas, sobre casos da Covid-19, sobrecarga no sistema de saúde público e desvio de vacinas, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, viajou no sábado, 23, a Manaus (AM) sem data para voltar.

Sob pressão no cargo, Pazuello deve ficar em Manaus “o tempo que for necessário”, segundo informou o ministério.

“Pazuello não tem voo de volta a Brasília. Ficará no Amazonas o tempo que for necessário. Vai comandar de perto as ações emergenciais de combate à Covid-19, ao lado da equipe do Ministério da Saúde que já trabalha para apoiar a população do amazonense”, informou a Saúde ontem. Não constam compromissos na agenda oficial do ministro para este domingo. A assessoria da pasta informou que até o momento não há previsão de compromissos, mas aguarda novas atualizações.