Um estudante de enfermagem foi preso após invadir a casa da vizinha dele e estrangula-la até desmaiar para estupra-la. O homem foi identificado como Aldenei de Oliveira Vieira, 32; o caso aconteceu na Rua Malvino Reis Neto, bairro Colônia Santo Antônio, zona norte da capital. A vítima tem 27 anos.

De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) registrado no 6º Distrito de Polícia (DIP), e posteriormente transferido para 18° DIP, a vítima relatou que recentemente se mudou para o local que na ocasião do crime o vizinho entrou em sua casa e a estuprou. Após o ocorrido ele ainda tentou sufocá-la com um travesseiro.

“Ele invadiu minha casa e quando vi ele já estava na minha sala, eu perguntei o que ele estava fazendo lá e ele já colocou uma faca no meu pescoço. Me enforcou e me jogou no sofá, me mandou ir pro quarto, onde ele tirou a minha roupa e consumou o estupro”, disse.

Após estupra-la pela primeira vez, ele passou a ameaça-la de morte, pois estava com medo de ser preso. “Quando eu acordei eu gritei, ai ele me enforcou de novo e ele disse que ia me matar. Apaguei de novo e quando acordei ele estava batendo no meu rosto, chorando muito ele me dizia que não era assim, me pediu perdão, parecia ter dupla personalidade”, contou.

Com medo de ser denunciado, ele disse que a vítima teria que ir dormir com ele na cama dele. “Eu estava muito tonta, foi quando pedi a ele para deixar eu pelo menos colocar uma roupa, que eu iria para casa dele, mas que eu fosse de roupa. Ele aceitou e quando entrou no quarto para pegar uma roupa para mim, eu corri e na rua tinha um homem passando. Abracei esse homem e pedi que ele acionasse a polícia, pois eu tinha sido estuprada. O Alderney saiu de toalha atrás de mim e disse que eu era mulher dele, que eu estava bêbada. Mas eu insisti e o homem chamou a polícia e ele foi preso em flagrante”, relatou.

Uma equipe da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), que atendeu a ocorrência, encontrou a vítima enrolada em um lençol, na rua, amparada pelos vizinhos.

Ela abriu o portão da vila em que mora para que os policiais efetuassem a prisão em flagrante do indivíduo, que estava no corredor de acesso dos apartamentos.