O brasileiro tem um jeito bem peculiar de transformar algo sério em pavulagem. Prova disse é que, não tem nem um ano no ‘mercado’, o povo do Pau Brasil, transformou o PIX como um novo método de paquera. Isso mesmo, flerte, contatinhos, novo Tinder, seja lá do que queiram chamar.

Tudo começou quando um usuário contou uma experiência com novo sistema de pagamentos criado pelo Banco Central. Em sua rede social particular, homem contou que bloqueou a ex em todas as redes. Mas ela não se deu por vencida e começou a enviar sequecias de transferências, todas no valor de 1 centavo com pedidos para reatar o namoro. Muitos gostaram da ideia e começaram a compartilhar as suas chaves do PIX. Lógico que o novo método de paquera viralizou.

Um dos métodos mais adotados consiste na pessoa enviar uma quantia simbólica para a conta do crush e, no campo em branco disponível para identificar a transferência, ela escreve uma mensagem flertando.

 

Banco Central não Curtiu!

O criador do método instantâneo de pagamento não deu “match” no sistema de paquera e deixou bem claro que o o PIX é um meio de pagamento, não uma rede social.” E disse mais, quem não quiser ser incomodado tem a opção de configurar o aplicativo do banco onde possui contar para não receber notificações de pagamentos.