Débora Bruna de Oliveira Assad, de 23 anos, Eduardo Rodrigues de Lima, de 49 anos e João Victor Araújo da Silva (foto), de 26 anos, foram presos suspeitos de desviarem cilindros, adquiridos por uma ONG, através de doações de anônimos e artistas de todo Brasil, para vítimas da Covid, durante a crise do oxigênio em Manaus, que ceifou a vida de centenas de infectados pelo vírus.

Segundo informações do delegado Denis Pinho, titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações, os envolvidos eram voluntários da ONG, que já desconfiava do caso. As investigações tiveram início quando João foi visto oferecendo o insumo em sites de compra e venda, e ostentando em viagens por todo país.

Segundo Pinho, os cilindros eram vendidos por R$ 2 mil, mas durante o pico de mortes,o trio chegou a vender por R$ 6 mil. A polícia vai investigar se as pessoas que compravam sabiam do esquema, e se houver comprovação, serão autuadas por receptação.

Os suspeitos agora estão à disposição da Justiça.