A produção de bicicletas no Polo Industrial de Manaus (PIM) totalizou 56.981 unidades em janeiro. De acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, o volume é 44,6% maior às 39.400 bicicletas fabricadas em dezembro e 1% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado (56.410).

O vice-presidente do segmento de bicicletas da Abraciclo, Cyro Gazola, afirma que as fabricantes do Polo Industrial de Manaus (PIM) concentram seus esforços para acelerar a produção e, com isso, atender à demanda que segue aquecida, uma vez que a bicicleta se tornou uma alternativa para evitar a aglomeração do transporte público durante a pandemia.

“No entanto, estamos limitados pelo desabastecimento de peças e componentes. Esse é o nosso principal gargalo: cerca de 50% das peças de uma bicicleta são provenientes de fornecedores globais”, afirma.

Categorias mais produzidas e destino

Outro fator que afetou a produção de bicicletas em janeiro foi a segunda onda do coronavírus. Para conter os efeitos da pandemia um decreto estadual implementou o toque de recolher em Manaus. Todas as associadas tiveram que adequar suas atividades para cumprir a determinação e operaram em um único turno de trabalho, com horário reduzido.

Com 36.475 unidades e 64% do volume total fabricado, a categoria mais produzida em janeiro foi a Moutain Bike (MTB), que graças aos seus recursos tecnológicos se tornou uma opção de locomoção também em ambientes urbanos. Em segundo lugar ficou a Urbana/Lazer (18.152 unidades e 31,9% do total fabricado), seguida pela Infanto-Juvenil (1.449 unidades e 2,5%).

Do total produzido em janeiro, 60,7% foi destinado à região Sudeste, que recebeu o maior volume de bicicletas produzidas no Polo de Manaus (34.582 unidades). Na sequência, estão o Sul (11.799 unidades e 20,7%), Nordeste (5.460 unidades e 9,6%), Centro Oeste (3.530 e 6,2%) e Norte (1.610 e 2,8%).

Importações

As importações em todo o território nacional totalizaram 7.646 bicicletas. Na comparação com dezembro, que teve 2.958 bicicletas importadas, a alta foi de 158,5%. Já em relação a janeiro do ano passado (9.314 unidades), houve retração de 17,9%.

De acordo com dados do portal Comex Stat, que registra os embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo, a maioria das bicicletas veio da Ásia. A China respondeu pelo maior volume, com 6.238 unidades e 81,6% do volume total importado. Em seguida, vieram Taiwan (589 unidades e 7,7% do total importado) e Vietnã (475 unidades e 6,2%).

No segmento de bicicletas, com as principais fábricas instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição entre os principais produtores mundiais, contando com uma frota nacional com mais de 70 milhões de unidades. No total, as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram cerca de 12,8 mil empregos diretos em Manaus/AM.