Mais uma vez o caso de estupro de morte de uma criança indefesa se repete em Barreirinha. Desta vez a vítima foi Cibele Amazonas Silva de apenas 1 ano e 5 meses. Ela foi estuprada e assassinada por homem, de idade não revelada, de acordo com a assessoria da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), na Comunidade Terra Preta do Limão, naquele município.

Conforme a PCAM, por meio da 42ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Barreirinha o crime aconteceu neste domingo (20), e o autor foi preso flagrante.

Ainda no domingo, mas pela parte da noite, populares revoltados com o crime e na tentativa de retirar o homem de dentro da unidade policial, atearam fogo em duas viaturas da PC-AM e depredaram o prédio da instituição.

O fogo foi rapidamente controlado e as investigações acerca do ato de vandalismo estão em andamento. A Polícia Militar do Amazonas (PM-AM) enviou reforços para o município e o acusado será transferido para a cidade de Parintins, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Fotos: Clemente Valente, Jair Carneiro e Internet

 

Caso Ana Beatriz

A pequena Ana Beatriz, de apenas 5 anos, foi raptada de dentro de casa enquanto dormia, e foi encontrada morta e violentada sexualmente numa área de mata. A mãe da vítima relatou que sentiu falta da filha por volta das 2 horas da madrugada. Taiane Silva Rayol, 25 anos, dormia com a menina e a outra filha.

O crime aconteceu no dia 22 de novembro, mas a vítima só foi encontrada no dia seguinte, por volta das 15 horas. Ela tinha marcas de agressão pelo corpo, e foi morta por asfixia.  Também havia marcas de agressão na boca, situação atestada pelo médico do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), Rafael Lopes.

Uma camisa do agressor foi encontrada dentro da casa da família. Jackson Mota, pai da criança, assim como a mãe, recebem apoio do Departamento de Assistência ao Índio no município, liderado por Jecinaldo Sateré.