As práticas abusivas encabeçaram a lista de reclamações da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC/Aleam) no primeiro semestre deste ano. Elas são motivadas pela pandemia de Covid-19.

De 1º de fevereiro a 30 de junho, foram contabilizadas 635 reclamações, das quais 500 foram referentes a reajuste de preço de produtos essenciais sem justa causa e retirada de materiais das prateleiras, causando falsa sensação de que o item desejado estivesse em falta.

Além dos preços cobrados por materiais de higiene, também foram registradas reclamações relacionadas a produtos básicos de alimentação. O restante das denúncias ficou a cargo dos serviços públicos de energia elétrica e água.