José Eduardo de Moura Barbosa, de 22 anos, o autor do atropelamento na avenida Mário Ypiranga, que matou Cleomar Neves Alencar e vitimou mais quatro pessoas, foi apreendido será autuado pelos crimes do código de trânsito de homicídio culposo, lesão corporal culposa e por conduzir veículo sem a devida permissão. O acidente aconteceu no bairro Adrianópolis, na manhã de ontem (13/8).

De acordo com o delegado Marcos de Arruda, titular do 1º DIP, José Eduardo estava dirigindo um veículo modelo Gol, a caminho de seu trabalho, quando percebeu que o carro apresentava pane mecânica. Na ocasião, o jovem desligou e travou a direção do automóvel, momento em que ficou sem reação para frear, e acabou atingindo as pessoas que estavam na parada de ônibus.

Conforme o delegado, durante o acidente o jovem desmaiou, e quando retornou, percebeu que havia pessoas machucadas no local, e a partir daí, ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que imediatamente chegou ao lugar do fato e fez a condução das pessoas feridas para dois hospitais públicos da cidade, sendo um na zona centro-sul e outro na zona leste.

”Uma das vítimas socorridas, uma mulher de 56 anos, veio a óbito em no hospital público da zona centro-sul, pois ficou gravemente ferida. Ainda há uma pessoa internada em estado grave, e as outras três tiveram alta no começo da manhã desta sexta-feira. O indivíduo passou por atendimento médico, bem como, pelo teste de bafômetro, que teve o resultado negativo. Após esses procedimentos, ele foi conduzido à sede do DIP para prestar esclarecimentos”, explicou Arruda.

Segundo Arruda, a equipe policial está aguardando o resultado do laudo da perícia para ter conhecimento sobre a motivação do acidente. O carro foi recolhido e está na sede do 1º DIP, e também passará por perícia.

O jovem foi autuado pelos crimes do código de trânsito de homicídio culposo, lesão corporal culposa e por conduzir veículo sem a devida permissão. Após os procedimentos cabíveis, ele será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT) para audiência de custódia e ficará à disposição da Justiça.