O ex-líder sindical dos rodoviários Givancir de Oliveira, está sendo denunciado pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), pelo estupro de uma criança. Uma mulher de 18 também foi denunciada por levar menores as menores para serem violentadas em troca de dinheiro.

O sindicalista já está preso suspeito de matar Bruno Freitas Guimarães, de 24 anos, que tentou defender a prima, a travesti Thelssy dos Santos Freitas, que trabalhava na casa de Givancir. O caso de estupro foi denunciado pelo promotor Leonardo Abinader Nobre, do MP-AM em Iranduba, suposto local onde teriam acontecido os abusos. Em depoimento, suspeito negou o crime.

Em nota, a Polícia Civil informou que de acordo com o delegado Lázaro Ramos, titular da 31ª Delegacia Integrada de Polícia (DIP), de Iranduba, as investigações em torno do caso de Givancir Oliveira, seguem em segredo de Justiça e mais informações não podem ser repassadas.