Há 25 anos o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) presta Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) aos produtores familiares do Amazonas.

Com escritórios em todos os 62 municípios do estado, por meio de suas 66 unidades locais, o Idam atende a um público de mais de 85 mil produtores rurais e agricultores familiares, estes últimos representando 97% do público atendido pelo órgão.

Ao longo do ano passado, em meio às limitações da Covid-19, o Idam beneficiou diretamente mais de 37 mil produtores com serviços de Ater, incluindo visitas técnicas, elaboração de projetos de crédito rural, distribuição de mudas e sementes, e programas de capacitação.

Projetos de crédito rural

Em 2020, segundo dados do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural do instituto (Dater), o Idam teve 298 projetos de crédito rural aprovados, em sua maioria por meio da Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) e Banco da Amazônia, correspondendo a cerca R$ 4,9 milhões.

Este valor equivale a fomento à agricultura familiar, projetos estruturantes, Pró-Mecanização agrícola, Pró-Calcário e o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) Mais Alimentos.

“Esta é outra agenda importante para o Idam: prover aos agricultores familiares ferramentas necessárias para aumentar a produção, através da organização da terra, dos insumos necessários para que a terra fique apropriada para a produção”, comentou Valdenor.

Serviços principais

O Idam também atuou levando mais de 53 mil mudas e aproximadamente 21 toneladas de sementes aos seus beneficiários, em sua maioria agricultores familiares, e prestou 17 mil visitas técnicas e cursos de capacitação para um total de 622 participantes.

Mais de 255 mil doses de vacinas contra a febre aftosa foram fornecidas a 3,6 mil criadores de gado, e piscicultores beneficiários do Idam chegaram a receber 239 mil alevinos.

Outro aspecto importante tem sido a parceria com outros órgãos, empresas e instituições, tanto do setor privado quanto público, como explicou o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural, Luiz Carlos do Herval Filho.