Tudo bem que o número tenha caído e que dois meses após a maior crise de oxigênio, falta de leito e gente agonizando em porta de hospital já passou. Mas para os ricos tanto faz, o que não pode é deixar o aniversário passar em branco, pouco importa a dor dos outros. Festão com direito a DJ Carioca em um condomínio de luxo na avenida Ephigênio Salles, bairro Aleixo, zona centro-sul de Manaus, é prova disso.

 

BLOGUERAGEM E ALTA CLASSE

Um tapa na nossa cara! Storys e mais storys com copos na mão, todo mundo aglomerado e blogueira rebolando no palco até o chão. Depois, essas pessoas tiram vagas de inocentes que estavam dentro de casa a meses se cuidando !!!

 

BISCOITEIROS

Os mesmos blogueiros que corriam atrás de oxigênio, live solidário e o escambau, aparentemente também corriam atrás de mídia e engajamento. Aja paciência para aturar esse povo.

 

ATÉ O VÍRUS FOI CONVIDADO

Acabou que virou caso de polícia. Mas o que chama a atenção é a PC passar nota informando que vai verificar “SE HOUVE descumprimento às medidas sanitárias de prevenção à Covid-19”. Maninho, se duvidar (contém ironia), até o vírus foi convidado.

 

SEMPRE OS ÚLTIMOS

O pior disso tudo é ver a força de segurança, que está todos os dias nas ruas se arriscando, entrar em um local desse e um dia após serem “contempladas” com vacinas, sim vacinas! Mas nas entre linhas e admitido pelo próprio secretário as doses vencem em abril. Será que se fosse diferente, eles seriam mesmo vacinados agora?

 

Ninguém merece!!!

  • Motorista atropela e mata grávida, deixa o marido dela ferido e foge do local sem dar assistência
  • Dono do Baratão da Carne admitiu que o filho fez o aniversário de 19 anos e que errou também ao permitir a festança
  • Em Manaus, não podemos pedir ou cobrar segurança para os nossos bairros, temos que dançar conforme a cartilha do tráfico. Pobre André Castro, que Deus o receba!
  • Silas Câmara vai passar o dia sem comer. Será em sacrifício pelo Brasil. Assim, diz numa mobilização feita por ele, chamada de “Jejum nacional pelo Brasil”.