O aumento de atendimento na rede de assistência em Manaus, com o recrudescimento das infecções pelo novo coronavírus no Amazonas, possibilitou a ampliação de Recursos Humanos (RH) da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) em mais de 2 mil profissionais.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Marcellus Campêlo, de outubro de 2020, quando começou o Plano Executivo de Contingência Estadual para o Recrudescimento da Infecção Humana pelo Novo Coronavírus, a 1º de março de 2021, a SES-AM contratou 2.089 profissionais.

Duas frentes

Para responder à necessidade de ampliação de RH nesse cenário de pandemia, a SES-AM atuou em duas frentes, como explicou o chefe do Departamento de Recursos Humanos (DGRH) da SES-AM, Mário Ernani Mendonça.

Os profissionais estatutários que tiveram seus contratos dobrados passaram a atuar nas próprias unidades onde já estavam lotados. Enquanto os contratados do banco de RH, mantido pelo MS, foram distribuídos pelas unidades da rede em Manaus, nas unidades que mais necessitavam de reforço.

“Parte significativa foi para o RH do Hospital Nilton Lins”, informa Mário. A unidade foi aberta pelo Governo do Amazonas para ampliar a rede de assistência, para atender exclusivamente pacientes com Covid-19.

Segundo dados do DGRH da SES-AM, foram contratados 393 profissionais para operacionalizar o Hospital Nilton Lins.

Contratações pontuais

Feitos esses dois movimentos, a SES-AM segue com as contratações, mas agora de forma mais pontual, de acordo com as demandas que as unidades apresentam em áreas específicas.

Os 2.089 contratados se somam aos 14.914 que já integram a rede da SES-AM, totalizando 17.003 mil profissionais. O número leva em consideração o total de servidores na capital e no interior. Os 2.089 foram contratados de forma temporária, com contratos valendo por 90 dias.

Levantamento

Como as ações realizadas na pandemia deixarão um legado de expansão de leitos, consequentemente, haverá a necessidade de ampliar o RH da SES-AM em definitivo, explica Mário.

Segundo o chefe do DGRH, pensando nessa perspectiva, o departamento já trabalha em um levantamento de impacto financeiro e da necessidade de RH para eventual contratação, pós-pandemia. Confirmada essa necessidade, as contratações devem ser por meio de concurso, como determina a legislação.

Profissionais contratados até 1º/03:

Assistente social: 34
Enfermeiro: 503
Farmacêutico: 55
Fisioterapeuta: 237
Médico Clínico: 55
Médico Intensivista: 16
Psicólogo: 75
Nutricionista: 33
Técnico de Enfermagem: 1.081