Apesar de os  Meteorologistas do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), terem afirmado em agosto que este ano o “verão amazônico” será o mais quente desde 2010, o que se viu no mês de setembro e início de outubro foi fortes chuvas que deixaram rastros de família desabrigadas. De acordo com a previsão, a estação seca, que vai de junho a outubro, é marcada por temperaturas mais elevadas devido à redução da nebulosidade na região.

Apesar de os dias de sol escaldante tivemos alguns dias de chuva, sempre chuvas fortes, geralmente com formação de tempo a noite e a queda d’água durante a madrugada. Contudo as chuvas tem deixado a Defesa Civil em alerta, já que as família que moram em área de risco ficam expostas a perigos como, desabamentos, inundações e etc,.

Conforme dados da Defesa Civil do dia 1º de janeiro deste ano até ontem (5), foram cerca de 1.245 ocorrências, atendidas pela Central de Emergência 199, somente em Manaus.

 

Chuva de granizo deixa 21 famílias desabrigadas em Manacapuru

Vinte e uma famílias moradoras da comunidade do Pesqueiro em Manacapuru ficaram desabrigadas, após uma chuva de granizo com ventos fortes. Os moradores compartilharam imagens das pedras de gelo e das residências destelhadas nas redes sociais. As informações foram confirmadas pela Defesa Civil do Município.

Segundo eles, foi poucos minutos de chuva e vento forte durante a manhã de ontem (5). Além das casas danificadas, algumas árvores também não resistiram ao poder da ventania e foram ao chão.  A defesa Civil do município esteve durante toda tarde na comunidade e segundo o órgão 21 casas foram destelhadas, 62 pessoas estão desabrigadas e uma pessoa ficou ferida durante os destelhamentos.