Entre os recuperados de Covid no Amazonas, está o pastor Juvenal Galucio. Ele passou 30 dias internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria, em Manaus, e teve complicações devido à doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). Ele define a recuperação como um milagre e agradece à equipe do Hospital Delphina Aziz pelos cuidados recebidos.

“Lá, eu passei 22 dias entubado e depois que fui para a enfermaria, passei mais nove dias, mas nesse período de nove dias que passei lá, eu recebia visita de enfermeiros altas horas da madrugada. Eles diziam, ‘Seu Juvenal, eu estou acompanhando seu drama. Eu trabalho no setor tal e vim só lhe dizer uma palavra: o senhor é um milagre de Deus’. É essa frase que tenho na minha vida. Eu vivi o drama, senti a morte de perto, fui entubado duas vezes”, relata.

Para a parcela da população que não mantém os cuidados necessários para evitar a contaminação de Covid-19, Juvenal orienta: “Tem de se cuidar, se precaver, tem que usar a máscara. O que a gente observa é que tem muitas pessoas que não estão usando a máscara, mas que isso é verdade, é real, e se não tiver cuidado, uma intervenção divina, a pessoa morre mesmo”.

Após 167 dias do primeiro caso confirmado de Covid-19 no estado, o Amazonas registra 100.239 pessoas recuperadas da doença nesta quinta-feira (27/08). Na edição nº 147 do Boletim Epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância e Saúde do Amazonas (FVS-AM), foram ainda confirmados 671 novos casos.