Um triplo homicídio na noite desta sexta-feira (24) chocou a população manauara, pelas cenas brutais dos crimes e a frieza dos bandidos em divulgar o homicídio na internet. As informações a seguir são da Polícia Civil.

Uma grávida com idade gestacional de 2 meses, identificada como Andreza Santos da Silva, conhecida como Pérola Eduarda, que tinha 20 anos, o companheiro e pai do bebê dela, o adolescente Thiago Costa dos Santos, que tinha 17 anos e o amigo dele, Vitor Patrick da Frota Maia, 21 anos, foram executados com diversos tiros.

De acordo com o relatado pela família para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), as três vítimas usavam um quitinete alugado na comunidade Agnus Dei, localizada no bairro Monte das Oliveiras, zona Norte, como esconderijo.

No quitinete da rua Santa Aurélia, Thiago e Vitor foram executados em cima de um colchão.

A tia de Vitor disse que a família não sabia que ele estava com Thiago e Pérola.

Fotos: PMAM/Divulgação

 

EXECUTADA EM FRENTE A TEMPLO RELIGIOSO

Pérola uma mulher e duas crianças foram colocadas a força dentro de um carro de cor prata. De lá o grupo criminoso levou a gestante até a rua 50, no bairro Mutirão, bairro Novo Aleixo, zona leste. Onde ela foi executada com mais de 12 tiros.

Foto: PMAM/Divulgação

A ação foi toda gravada pelos criminosos, que nas filmagens que viralizaram nas redes, festejam enquanto a matam.

Nas imagens, é possível ver Pérola com os pulsos atadas em pé ao lado da porta traseira de um veículo, assim que ela desce do automóvel a pessoa que filma desfere os primeiros tiros, o comparsa desce logo atrás e começa a atirar também.

Conforme a DEH, a gestante teve múltipla fraturas no pescoço e face, todas ocasionadas pelas balas.

O paradeiro da outra mulher e das crianças é desconhecido até o momento.

Uma fonte da Polícia Civil revelou que o motivo da morte dos três é acerto de contas relacionada ao tráfico de drogas. Ainda segundo essa fonte o casal e o amigo teriam participação em dois diferentes homicídios ocorridos neste mês no São Francisco e no Tancredo Neves, onde duas vítimas inocentes teriam morrido durante o confronto.

 

ATENÇÃO! CONTEÚDO SENSÍVEL