Sem renovação no seu contrato, o vice-artilheiro do Vasco em 2020 ao lado de Ribamar, com quatro gols, Fellipe Bastos, pode ter sido prejudicado por uma discussão com o treinador Ricardo Sá Pinto, que acabou demitido no mesmo mês, motivo o término da quarta passagem do volante por São Januário.

Três meses depois, em longa entrevista ao Globo Esporte, o jogador de 31 anos detalhou o atrito com o técnico português, acusou a diretoria comanda pelo ex-presidente Alexandre Campello de não cumprir com o que lhe prometeu e elencou pontos centrais que, em sua opinião, levaram o clube ao quarto rebaixamento de sua história no Brasileirão.

Ainda conforme entrevista ao GE, atualmente analisando possibilidades para seguir a carreira, Bastos acredita que o erro crucial do comando do futebol vascaíno foi a demissão de Ramon Menezes, no início de outubro. Disse acreditar também que a queda deu-se pela não absorção das ideias de Sá Pinto e em função de contratações de jogadores sem identificação com o clube, para quem revelou ter falado à época: “O Vasco não é Disneylândia”.