O governador Wilson Lima convocou a imprensa nesta terça e prorrogou o decreto que proíbe festas, aglomerações, abertura de balneários e demais eventos no Amazonas por 30 dias. Diante do crescimento dos casos de Covid no Amazonas, com ocupação de 98% na taxa de ocupação de leitos de UTI, ele reconheceu uma “pressão” na rede pública, mas negou a segunda onda. “A campanha, as caminhas, aumentaram o número de casos, especialmente no interior. Mas ainda não estamos como na Europa. As atividades econômicas precisam continuar, mesmo minimamente, para que as pessoas sustentem suas famílias. ”

Wilson afirma que determinou empenho em salvar vidas e que estuda todas as possibilidade, inclusive  de reabrir o hospital de campanha da Nilton Lins. Ao lado da presidente da Fundação de Vigilância em Saúde, Rosemary Pinto, ele pediu que a especialista falasse sobre os casos que estão aumentando. “No interior, as pessoas que ficaram expostas na rua, na campanha, adoeceram”, ressaltou. “Estamos vendo nas redes sociais as pessoas sem máscaras e sem atender a recomendação do uso de máscaras nos eventos de campanha.”

Por hora, não há previsão para fechar comércio ou escolas. O Amazonas tem 157.324 casos e 4.446 mortos por Covid.